Formalizar ou não formalizar, eis a questão

Empreender já faz parte do cotidiano do brasileiro, isso é fato. Para e observa: até o fim do ano passado já formávamos uma rede imensa de 20 milhões de negócios em atividade no país, a partir dos dados do mapa de empresas, do Ministério da Economia. E esse número só cresce a cada dia, demonstrando a força e a necessidade do empreender para o brasileiro. 

Neste momento, empreendedores de diversos tamanhos e de vários segmentos, espalhados por todas as regiões do Brasil representam 27% do Produto Interno Bruto nacional (PIB), e esse percentual também só vem crescendo, de acordo com recentes pesquisas realizadas pelo SEBRAE.

Só avaliando esse crescimento, entendemos que empreender tem uma grande lista de vantagens. Liberdade de gestão e de execução, oportunidade de mudança de rumos profissionais, flexibilidade de agenda, uma graninha mais maneira… Mas, com grandes poderes, a responsabilidade também vem. 

Empreender é muito mais do que apenas executar produtos e/ou serviços, é também trabalhar (muito) para se planejar, gerenciar ideias e, principalmente, pagar as contas pessoais e do negócio sem a tutela de ninguém, já que dono and proprietário da empresa é você mesmo. E quando nos deparamos com o grande rolê que é ser empreendedor no Brasil, vem sempre aquela dúvida na cabeça: devo ou não devo formalizar meu negócio?

A gente sabe que, a primeira vista, parece controverso pensar em formalizar um negócio que foi concebido justamente para trazer mais liberdade para a vida, além é claro, dos ganhos que vem junto. 

Mas, o que a gente precisa entender pra ontem é que ser empreendedor não é bagunça, não. 

Seja fazendo aquela unha ícone, ou fotografando comidinhas, ou produzindo marmitas fit, tudo que a gente faz de forma autônoma, com remuneração, é muito sério. Principalmente porque nesses ofícios estamos colocando pro mundo conhecimentos e talentos que são só nossos e que por isso mesmo precisam ser percebidos e reconhecidos como tecnologias profissionais. 

E se você quer profissionalizar o seu negócio, o rolê é formalizar, sem erro.

Formalizando o seu empreendimento fica muito mais possível conseguir financiamentos bancários para melhorar o seu trabalho, aumenta suas possibilidades de crescimento e de divulgação do projeto, organiza bem direitinho a sua vida profissional, para evitar que se misture com a pessoal e é a chance de colocar a sua ideia na rua e dar o seu nome. 

Hoje, a formalização de empreendedores tem se tornado menos burocrática e demorada, principalmente depois da criação do cadastro de Micro Empreendedor Individual, o famoso MEI. Ser MEI te garante contribuição ao INSS, auxílio doença, um CNPJ para facilitar a vida e a autorização para gerar Notas Fiscais e assim poder vender produtos ou prestar serviços para empresas grandes ou para órgãos públicos, por exemplo. E o melhor: se cadastrar no MEI é 100% grátis e online, basta acessar o portal do empreendedor do governo federal e mandar ver! 

Formalizar o seu negócio é garantir que sua ideia e sua renda cresçam e apareçam nesse mundão, tudo bem direitinho, de acordo com as leis do seu município e do seu estado, e garantindo assim a você boa parte dos direitos necessários para qualquer pessoa que rala nesse Brasilzão. 

 

Vamos de crescer hoje?

 

Por Diego Nunes.